Ao tomar conhecimento do falecimento da Exma. Sr.ª D. Margarida Maria Pizarro Telo Rasquilha (apontamento semanal de J. Ventura Trindade, in Diário do Sul, 23-04-2021), sinto-me no dever de me erguer em sentido de oração de louvor e gratidão pelo casal e pela família que a Guida e o seu extremoso marido, José Luís da Gama Telo Rasquilha, falecido há cerca de quatro meses, souberam construir.

O engenheiro agrónomo José Luís da Gama Telo Rasquilha, falecido a 11 de dezembro de 2020, numa Unidade Hospitalar em Lisboa, nasceu a 30 de julho de 1934, em Campo Maior. Em 1990 fundou a CERSUL, liderando um grupo de agricultores, a quem se deveu a concepção e desenvolvimento desta empresa sediada em Elvas. Em 2013, foi condecorado como Comendador da Classe de Mérito Agrícola da Ordem de Mérito Empresarial.

Casal de profunda e esclarecida Fé, atentos àqueles que sabiam viverem em condições espiritual e materialmente carenciados. Em casal, dedicaram-se de modo pleno ao Movimento dos Casais de Santa Maria e ao Movimento dos Cursos de Cristandade; enquanto mulher católica, ela dedicou-se ao Movimento das Noelistas e ambos souberam ser dedicados paroquianos em Campo Maior, e leigos atentos a todos os meios de formação e a todas as grandes causas da Igreja que eles abraçavam com inteireza de vida e afinco de compromisso.

De modo mais explícito, foi nos Cursos de Cristandade, onde foram Reitores, que o seu testemunho e o alcance do seu apostolado talvez mais se tenha aprofundado e engrandecido, sobretudo durante a Direcção Espiritual entregue pelos Arcebispos de Évora ao saudoso Cónego Filipe Marques de Figueiredo, com quem constituíam sólida equipa de trabalho evangelizador.

Como Arquidiocese, devemos sentir a alegria de termos convivido com estes irmãos que se identificaram com Cristo e souberam ser Igreja no quotidiano das suas vidas, em família e na sua cidadania, sempre no contexto do seu tempo e da sua época; com virtudes e defeitos, porém com saldo de vida digna, pelas opções coerentes e pelas atitudes de serviço e humanização, nas quais se pode ler o Evangelho.

No Ano “Família Amoris Laetitia” e num tempo que busca referências e modelos de vida, atrevo-me a recordar o testemunho deste casal, em nome de tantos testemunhos de casais anónimos, que tem o carisma da liderança pastoral na sua paróquia e na Arquidiocese.

Na pessoa do seu filho Sacerdote, Reverendo Padre Bernardo Telo Rasquilha, cumprimento toda a família, com sentimentos fraternos de gratidão pela dádiva dos Caros José Luís e Guida. Paz às suas almas!

+ Francisco José Senra Coelho
Arcebispo de Évora

pt_PTPortuguese